Início » Mikkelsen lidera, Armindo Araújo o melhor português

Mikkelsen lidera, Armindo Araújo o melhor português

A derradeira classificativa da demolidora 1.ª etapa deste Rally Serras de Fafe e Felgueiras, Boticas 2, foi quase decisiva para as contas da prova, já que Dani Sordo, que era então terceiro a apenas 10,3s do líder, e Simone Tempestini, que era quarto, a 23,6s, desistiu, o espanhol por despiste e aquele último por problemas mecânicos.

A dupla Andreas Mikkelsen/Elliott Edmondson venceria mais uma especial, deixando o agora único rival próximo na tabela, a dupla Alexey Lukyanuk/Alexey Arnautov, a 3,4s, para uma liderança à geral de 4,4s sobre os russos. Armindo Araújo é um fantástico terceiro classificado, mas em circunstâncias normais, já só as duas primeiras duplas podem aspirar à vitória, mas à falta de uma etapa (8 provas de classificação), tudo pode naturalmente acontecer.

Rebobinando e indo por partes, o primeiro troço da tarde (Luílhas 2) veio baralhar e dar de novo: depois do furo de Mikkelsen no final da primeira ronda do dia, foi a vez de Sordo furar. Resultado: perdeu 29,6s para o norueguês, que foi o mais rápido e recuperou a liderança à geral, sete décimos à frente do espanhol. Todos os pilotos se queixaram das duras condições do troço.

Aliás, a dureza foi uma constante, com todos os pilotos a piorarem francamente os tempos em relação às primeiras passagens: a título de exemplo, Mikkelsen demorou mais 30,3s para completar a segunda passagem por Luílhas, quase três segundos mais lento que na primeira passagem.

No final do segundo troço da tarde, Senhora da Fé/Anjos 2, Erik Cais desabafou que “apesar de estar a usar pneus com tacos de lama, a sensação era a de estar a guiar com «slicks»”. O tempo registado pelo vencedor do troço, o surpreendente Simone Tempestini, foi 1m44,8s mais lento do que em Senhora da Fé/Anjos 1, ou seja, quase seis segundos por quilómetro.

Já na segunda passagem por Agra/Zebral, Alexey Lukyanuk também surpreendeu, ao ser o mais rápido, confirmando a tendência ao perder mais de seis segundos relativamente à primeira passagem. Realce aqui para o excelente quarto «crono» à geral para Ricardo Teodósio.

ARMINDO DOMINA NO CAMPEONATO DE PORTUGAL

A etapa foi também dura para os portugueses, e muito interessante no topo da tabela, com as duplas Armindo Araújo/Luís Ramalho e Bruno Magalhães/Carlos Magalhães a alternar constantemente na liderança, até que Armindo faz um excelente tempo da derradeira especial (terceiro à geral) e Bruno perde quase 20 segundos para o compatriota e também a liderança entre os pilotos do campeonato português, ficando a 13,5s do tirsense.

Classificação após a 1ª etapa (oficiosa)

1º, Andreas Mikkelsen/Elliott Edmondson (Skoda Fabia Rally 2 Evo), 1h23m20.8s

2º, Alexey Lukyanuk/Alexey Arnautov (Citroen C3 Rally 2), a 4,4s

3º, Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda Fabia Rally 2 Evo), a 1m49.2s

4º, Bruno Magalhães/Carlos Magalhães (Hyundai i20 Rally 2), a 2.02.7

5º, Norbert Herczig/Ramón Ferencz (Skoda Fabia Rally 2 Evo), a 2.40.7

6º, Eric Cais/Jindriska Zakova (Ford Fiesta R5 MK II), a 2.45.7

7º, Nil Solans/Marc Marti (Skoda Fabia Rally 2 Evo), a 3.05.9

8º, Yoann Bonato/Benjamin Boulloud (Citroen C3 Rally 2), a 3.19.1

9º, Benito Guerra/Daniel Cue (Skoda Fabia Rally 2 Evo), a 4.50.5

10º, Miko Marczyk/Szymon Gospodarczyk (Skoda Fabia Rally 2 Evo), a 5.04.9