ARMINDO PROCURA DEFENDER LIDERANÇA NO CPR

O Vodafone Rally de Portugal é o palco da terceira prova da temporada do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR). Armindo Araújo (Skoda Fabia) lidera o contingente de 11 pilotos inscritos no WRC2, mas deve preocupar-se, essencialmente, com as contas do «Nacional», que lidera com 72 pontos, mais nove do que o segundo classificado, Miguel Correia que, há um mês, se estreou no lugar mais alto do pódio, na sequência da vitória no Rali Terras d’Aboboreira.

O campeão nacional em título, Ricardo Teodósio (Hyundai i20 N) e o colega de equipa Bruno Magalhães, mas também José Pedro Fontes (Citroën C3), Pedro Almeida (Skoda Fabia) e Pedro Meireles (Hyundai i20 N), são outros dos que podem discutir a primazia no CPR, cuja lista de participantes no WRC2 se completa com Lucas Simões, Diogo Salvi, Paulo Caldeira e Manuel Castro.

A competição destinada ao CPR disputa-se apenas da primeira à nona especial do 55.º Vodafone Rally de Portugal, sendo que depois, entre os que decidirem continuar, o foco de interesse se vai centrar na luta pelo título de melhor português na prova.

Garantia de animação também nos troféus Peugeot e Toyota

Os dois troféus que integram o CPR 2022, a Peugeot Rally Cup Ibérica e a Toyota Gazoo Racing Iberian Cup, também marcam presença na 55ª edição do Vodafone Rally de Portugal.

A competição dos carros franceses, que está na quinta edição, vai para a terceira das seis provas do calendário deste ano. Na ronda inaugural, em Fafe, venceu o espanhol Oscar Palomo, e na segunda, em Mortágua, o compatriota Diego Ruiloba, que lidera o troféu com 42 pontos, mais oito do que Ernesto Cunha, enquanto Palomo e Ricardo Sousa encerram o pódio provisório, ambos com 25 pontos.

Já o troféu reservado aos Yaris RZ também vai para a terceira jornada e conta igualmente com vencedores diferentes, Miguel Campos, nos Açores, e Sergi Francolí, que se estreou na competição no Rali Terra da Auga, disputado na Galiza. Campos mantém todavia a liderança provisória da competição com um calendário de nove jornadas.Tem 38 pontos, mais três do que Ricardo Costa e mais dez do que Fran Cima.

Fonte: www.rallydeportugal.pt